Equipe da 2Day cresce com novos talentos

Equipe da 2Day ganha novos talentos
A nossa equipe de Gestão de Lançamentos e o núcleo de Pesquisas e Inteligência de Mercado acabaram de ganhar um reforço nos seus times. Fechamos o mês de maio com contratações de peso aqui na 2Day
Na parte de Gestão de Lançamentos contamos agora com a expertise da Raquel Pereira, que atuará como Analista de Marketing, e da Mariana Moraes, na função de Analista Comercial.
“Aposto que será um super desafio: a 2Day é uma empresa com vários clientes diferentes e irei atuar em um ramo que tenho experiência”, define Raquel.
Em comum, além da passagem pela empresa Cyrela, as duas profissionais dividem a boa expectativa em fazer parte do nosso time.
“Estou muito feliz de fazer parte dessa equipe vencedora. Trabalhei com a Patricia Longhi em outra empresa, e pude acompanhar a profissional brilhante que ela é. Tenho certeza que será uma ótima experiência profissional e pessoal”, explica Mariana.
Já no núcleo de Pesquisas e Inteligência de Mercado, ganhamos o reforço do Renan Sander, Analista de IM.
Com passagem pelo Kzuka, Sander diz que “está com expectativas positivas em relação à 2Day e que, com certeza, esta será uma ótima experiência profissional”.
E com os novos colegas cheios de pique e boas expectativas, a gente só tem a desejar boas-vindas e que

A nossa equipe de Gestão de Lançamentos e o núcleo de Pesquisas e Inteligência de Mercado acabaram de ganhar um reforço nos seus times. Fechamos o mês de maio com contratações de peso aqui na 2Day.

Na parte de Gestão de Lançamentos contamos agora com a expertise da Raquel Pereira, que atuará como Analista de Marketing, e da Mariana Moraes, na função de Analista Comercial.

“Aposto que será um super desafio: a 2Day é uma empresa com vários clientes diferentes e irei atuar em um ramo que tenho experiência”, define Raquel.

Raquel, Mariana e Renan
Da esquerda para a direita: Raquel, Mariana e Renan

Em comum, além da passagem pela empresa Cyrela, as duas profissionais dividem a boa expectativa em fazer parte do nosso time.

“Estou muito feliz de fazer parte dessa equipe vencedora. Trabalhei com a Patrícia Longhi em outra empresa, e pude acompanhar a profissional brilhante que ela é. Tenho certeza que será uma ótima experiência profissional e pessoal”, explica Mariana.

Já no núcleo de Pesquisas e Inteligência de Mercado, ganhamos o reforço do Renan Sander, Analista de IM.

Com passagem pelo Kzuka, Sander diz que “está com expectativas positivas em relação à 2Day e que, com certeza, esta será uma ótima experiência profissional”.

A gente aproveita todo o pique dos novos colegas para registrar aqui o nosso desejo de boas-vindas!

Posts relacionados:

>>> 2Day na 7ª Conferência Marketing Imobiliário

>>> Bairro planejado de Chapecó conta com trabalho da 2Day

>>> Mercado imobiliário tem novas expectativas com classe média

2Day na 7ª Conferência Marketing Imobiliário

Desde 2005 a IBC Brasil organiza a Conferência Marketing Imobiliário com muito sucesso e prestígio no mercado imobiliário.

Em sua sétima edição, o evento este ano acontece entre 18 e 20 de junho, em São Paulo, e reúne renomados profissionais especializados em marketing imobiliário para debater tendências e novidades do setor.

2day

E é claro que a gente não ia ficar de fora dessa. Estaremos representados pela Patrícia Longhi, nossa sócia- diretora, que palestrará no segundo dia da conferência.

patricia 2day2

Patrícia apresentará o tema “A Importância da Inteligência e Pesquisa de Mercado no Marketing Imobiliário”, abordando aspectos como técnicas de venda, análise do cenário imobiliário, linhas de financiamento, planejamento e gestão do marketing do produto, canais de mídia mais eficazes, campanhas publicitárias, marketing online, redes sociais e tecnologia no PDV.

A programação completa da conferência prevê a participação de 17 palestrantes. São 8 palestras individuais, 3 estudos de caso, 2 workshops pré-conferência e dois painéis de debate.

Para conferir todos os detalhes do evento, entre em contato como a nossa gerente de vendas pelo e-mail danielle.bargas@ibcbrasil.com.br ou ainda pelo telefone (11) 3017-6844Esperamos você lá!

Posts relacionados:

>>> Bairro planejado de Chapecó conta com trabalho da 2Day
>>> Mercado imobiliário tem novas expectativas com classe média
>>> Pesquisa aponta crescimento em casas com apenas um morador

>>> Bairro planejado de Chapecó conta com trabalho da 2Day

>>> Mercado imobiliário tem novas expectativas com classe média

>>> Pesquisa aponta crescimento em casas com apenas um morador

O marketing do saudosismo

O saudosismo como estratégia de marketing
A Gradiente, empresa que marcou época nos anos oitenta, decidiu retornar ao mercado em decorrência de uma pesquisa realizada.
Os resultados demonstraram a admiração e lembrança dos consumidores com a marca, uma vez que muitos não sabiam de sua saída das prateleiras, ocorrida há seis anos.
Um dos principais objetivos da empresa nesse primeiro momento é reforçar o conceito emocional e, para isso, a marca relança o Meu Primeiro Gradiente.
O aparelho de som ícone dos anos 1980 volta ao mercado remodelado, em versão digital, com entrada USB e acesso à internet, mas mantendo as mesmas características do design colorido e divertido do passado.
O relançamento se dará primeiramente através das vendas via e-commerce, sendo o varejo o próximo passo. O público infantil será um dos focos da empresa, uma tentativa de resgatar o apelo emocional dos antigos usuários da marca, hoje responsáveis pais de família.
Caso semelhante ocorreu com a fabricante de brinquedos Estrela, que também apostou na emoção para voltar a crescer, relançando verdadeiros desejos de consumo do passado como Autorama e Ferrorama.
No caso do Ferrorama da Estrela, por exemplo, o novo modelo do brinquedo decepcionou muita gente. O novo Ferrorama tem controle remoto e anda de ré. Vale lembrar que, na versão antiga, o trem era controlado pelas alavancas e pelos desvios nos trilhos. Bem mais interessante, segundo os fãs desapontados.

A Gradiente, empresa que marcou época nos anos oitenta, decidiu retornar ao mercado em decorrência de uma pesquisa realizada.

Os resultados demonstraram a admiração e lembrança dos consumidores com a marca, uma vez que muitos não sabiam de sua saída das prateleiras, ocorrida há seis anos.

Um dos principais objetivos da empresa nesse primeiro momento é reforçar o conceito emocional e, para isso, a marca relança o Meu Primeiro Gradiente.

gradiente

O aparelho de som ícone dos anos 80 volta ao mercado remodelado, em versão digital, com entrada USB e acesso à internet, mas mantendo as mesmas características do design colorido e divertido do passado.

O relançamento se dará primeiramente através das vendas via e-commerce, sendo o varejo o próximo passo. O público infantil será um dos focos da empresa, uma tentativa de resgatar o apelo emocional dos antigos usuários da marca, hoje responsáveis pais de família.

Caso semelhante ocorreu com a fabricante de brinquedos Estrela, que também apostou na emoção para voltar a crescer, relançando verdadeiros desejos de consumo do passado como Autorama e Ferrorama.

No caso do Ferrorama da Estrela, por exemplo, o novo modelo do brinquedo decepcionou muita gente. O novo Ferrorama tem controle remoto e anda de ré. Vale lembrar que, na versão antiga, o trem era controlado pelas alavancas e pelos desvios nos trilhos. Bem mais interessante, segundo os fãs desapontados.

Apesar do saudosismo, resta saber se às crianças hiperativas de hoje, acostumadas a realidades virtuais em 3D e contatos online em redes sociais, se renderão aos momentos lúdicos promovidos pelos brinquedos de antigamente.

Posts relacionados:

>>> Pesquisas de mercado são tendência para empresas em 2012

>>> Pesquisa revela inclinação do mercado para geomarketing

>>> Facebook entra como estratégia de marketing

Cresce o uso de clientes ocultos no setor de comércio e serviços

No mundo virtual existem as avaliações que as pessoas deixam online e nos ajudam a decidir se determinados serviços valem à pena ou não.

Já no mundo real existe o cliente oculto, contratado e treinado para dizer nos mínimos detalhes o que não está funcionando muito bem e ajudar as empresas a melhorarem o atendimento.

cats456

E esta é uma demanda que começa a ficar forte no setor de comércio e serviços, principalmente em um momento de economia aquecida, alta competitividade, valorização da relação com o cliente e claro, vigilância das mídias sociais.

Uma matéria do programa Mundo S/A detalha bem o funcionamento e os resultados práticos da adoção do serviço. Confira a reportagem na íntegra aqui.

cats234

Posts relacionados:

>>> Empresas de bens de consumo querem interação com o consumidor
>>> Vídeo: Logomarcas na visão de uma criança
>>> Pesquisa mostra quais os tipos de imagem que mais comovem na hora da propaganda

>>> Empresas de bens de consumo querem interação com o consumidor

>>> Vídeo: Logomarcas na visão de uma criança

>>> Pesquisa mostra quais os tipos de imagem que mais comovem na hora da propaganda

Animais de estimação na mira do mercado imobiliário

Animais de estimação influenciam compra de imóveis
As construtoras têm investido nas áreas comuns dos edifícios para atrair interessados. Piscinas e churrasqueiras vieram primeiro. Depois, espaços gourmet e até cinemas.
Agora, são os animais de estimação que começam a ganhar espaço, com a introdução de ambientes especiais para eles.
Os chamados pet cares instalados nos condomínios recebem tanques, chuveiros e tomadas para secador. “Além disso, decoramos os ambientes com armários e gavetas para auxiliar na lavagem dos animais”, afirma Melina Fanny Iossephides, gerente de desenvolvimento de produto da Gafisa.
De acordo com Melina, a demanda por esse tipo de espaço tem crescido. Os números da Gafisa endossam essa impressão. “Já fizemos aproximadamente 22 empreendimentos com esse ambiente, alguns em construção e outros já entregues”, aponta.
Os bichos de estimação têm ganhado tanto destaque nos novos projetos que não são apenas os pet cares as únicas instalações voltadas para eles. “Em alguns empreendimentos, fazemos também os espaços pet place, que são locais abertos nos quais colocamos equipamentos que servem para treinamento e adestramento”, conta Melina Fanny IossepFaz hides.

Faz tempo as que as construtoras tem investido nas áreas comuns dos edifícios para atrair interessados. Piscinas e churrasqueiras vieram primeiro, seguidos de espaços gourmet e cinemas.

Agora chegou a vez de os animais de estimação ganharem espaço com a introdução de ambientes especiais para eles.

Os chamados pet cares instalados nos condomínios recebem tanques, chuveiros e tomadas para secador. “Além disso, decoramos os ambientes com armários e gavetas para auxiliar na lavagem dos animais”, afirma Melina Fanny Iossephides, gerente de desenvolvimento da incorporadora e construtora Gafisa.

asd

De acordo com Melina, a demanda por esse tipo de espaço tem crescido. Os números da construtora confirmam: “Já fizemos aproximadamente 22 empreendimentos com esse ambiente, alguns em construção e outros já entregues”, aponta.

Uma pesquisa, realizada por outra construtora, a Tecnisa, estima que na cidade de São Paulo 65% das residências verticais possuam animal de estimação, número próximo ao de pessoas que consideraram o Pet Care um item importante nas áreas sociais dos imóveis. Entre cerca de 530 pessoas ouvidas, 59% afirmaram que o Pet Care é importante, 9% indiferente e 32% desnecessário.

Os bichos de estimação tem ganhado tanto destaque nos novos projetos que não são apenas os pet cares as únicas instalações voltadas para eles. “Em alguns empreendimentos, fazemos também os espaços pet place, que são locais abertos nos quais colocamos equipamentos que servem para treinamento e adestramento”, descreve Melina.

Posts relacionados:

>>> Os bairros mais caros do Brasil

>>> Bairro planejado de Chapecó conta com trabalho da 2Day

>>> Pesquisa aponta crescimento em casas com apenas um morador

O marketing do Dia das Mães

O marketing do Dia das Mães
Uma das datas mais lucrativas para o comércio, o Dia das Mães é a grande oportunidade para as marcas se aproximarem dos consumidores. Por isso, reproduzimos aqui uma relação elaborada pela Letícia Alasse, do Mundo do Marketing, que analisou as ações de grandes marcas.
Começando pelos varejistas virtuais, a aposta foi a criação de hotsites que auxiliam a escolha do público. O Walmart, por exemplo, criou um teste para presentear as mães de acordo com o seu perfil, enquanto que o MercadoLivre investiu em categorias de produtos conforme o orçamento do consumidor.
Um dado interessante é que as questões emocionais ainda pesam na hora de produzir uma ação para a data. A LG criou um aplicativo que calcula o período em que o usuário deixa a sua mãe sem dormir e sugere uma recompensa com um produto da empresa.
Já a Coca-Cola optou por pesquisar o que realmente o público quer para bolar a sua estratégia para o Dia das Mães.  Enquanto em 2011 a marca lançou um vídeo com a música “Emoções” do cantor Roberto Carlos, este ano a opção foi por algo que realmente agregasse valor à vida dos consumidores.
A campanha que está no ar, “Felicidade Retornável”, está sorteando bolsas com design fashion para que as mães tanto levem as garrafas retornáveis do refrigerante quanto passeiem no dia a dia.
Outra marca que optou por presentear o consumidor de maneira mais intimista foi a Renner. A varejista criou um aplicativo que escolhe automaticamente a foto do perfil no Facebook com a opção de customização da imagem, e no sábado, dia 12, as mães dos participantes recebem um cartão personalizado.
Algumas marcas, além de lançamentos especiais e promoções, apostam ainda em detalhes básicos que também costumam atrair os consumidores. O Boticário lançou uma coleção de perfumes com fragrâncias exclusivas, contudo, para surpreender os clientes, também apostou em novas embalagens para a data, feitas em papel tecido.
Por fim, outra estratégia que tem aparecido no planejamento das marcas é focar na comunicação com os consumidores que realmente farão as compras.
A estratégia é repetidamente feita pelos shoppings, que estimulam altos valores de consumo e prêmios como carros, que não serão destinados para as mães, mas para o comprador em si.

Uma das datas mais lucrativas para o comércio, o Dia das Mães é a grande oportunidade para as marcas se aproximarem dos consumidores. Por isso, reproduzimos aqui uma relação elaborada pela Letícia Alasse, do Mundo do Marketing, que analisou as ações de grandes marcas.

Começando pelos varejistas virtuais, a aposta foi a criação de hotsites que auxiliam a escolha do público. O Walmart, por exemplo, criou um teste para presentear as mães de acordo com o seu perfil, enquanto que o MercadoLivre investiu em categorias de produtos conforme o orçamento do consumidor.

2day

2daydois

Um dado interessante é que as questões emocionais ainda pesam na hora de produzir uma ação para a data. A LG criou um aplicativo que calcula o período em que o usuário deixa a sua mãe sem dormir e sugere uma recompensa com um produto da empresa.

2day3

Já a Coca-Cola optou por pesquisar o que realmente o público quer para bolar a sua estratégia para o Dia das Mães.  Enquanto em 2011 a marca lançou um vídeo com a música “Emoções” do cantor Roberto Carlos, este ano a opção foi por algo que realmente agregasse valor à vida dos consumidores.

A campanha que está no ar, “Felicidade Retornável”, está sorteando bolsas com design fashion para que as mães tanto levem as garrafas retornáveis do refrigerante quanto passeiem no dia a dia.

2day4

Outra que optou por presentear o consumidor de maneira mais intimista foi a Renner. A varejista criou um aplicativo que escolhe automaticamente a foto do perfil no Facebook com a opção de customização da imagem, e no sábado, dia 12, as mães dos participantes recebem um cartão personalizado.

2dayquatro

Algumas marcas, além de lançamentos especiais e promoções, apostam ainda em detalhes básicos que também costumam atrair os consumidores. O Boticário lançou uma coleção de perfumes com fragrâncias exclusivas, contudo, para surpreender os clientes, também elaborou novas embalagens para a data, feitas em papel tecido.

klkjljl

Por fim, outra estratégia que tem aparecido no planejamento das marcas é focar na comunicação com os consumidores que realmente farão as compras.

A ação é repetidamente feita pelos shoppings, que estimulam altos valores de consumo e prêmios como carros, que não serão destinados para as mães, mas para o comprador em si.

Posts relacionados:

>>> O grande desafio do marketing: como dialogar com a classe C?

>>> Marketing no mercado de luxo: três tendências para 2012

>>> Marketing: o que atrai e o que irrita o consumidor?

O seu marketing foca na Prevenção ou na Promoção?

Quando se trata da motivação básica de compra, o consumidor pode ser impulsionado por dois fatores: a busca pelo prazer ou a prevenção da dor.
É o que aponta um estudo realizado por pesquisadores das Universidades de Boston, nos EUA, e de Ontário Ocidental, no Canadá.
Foram apresentadas duas tarefas aos consumidores: experimentar um café e comprar uma câmera digital. Um dos produtos era de qualidade e o outro não, o que permitiu identificar dois tipos de consumidores que respondem de forma diferente a experiências positivas e negativas relacionadas ao consumo.
Enquanto os consumidores focados em promoção buscam o prazer, aqueles que são focados em prevenção querem evitar a dor.
O grupo da promoção espera sempre uma boa experiência com a aquisição de um produto ou serviço. O curioso é que, esperando uma experiência positiva, o prazer que é obtido com esta experiência positiva é maior. Mas se esse consumidor tem uma experiência ruim, a frustração e sofrimento são maiores.
Já o outro tipo do consumidor, o focado em prevenção, é aquele que sofre menos quando coisas ruins acontecem. O problema é que ele também não aproveita bem as experiências positivas, não tem tanto prazer, porque não espera muito das coisas. As reações controladas deste grupo fazem com que eles sintam menos alegria com boas experiências, um fenômeno que os pesquisadores chamaram de viés conservador.
Como as empresas podem usar esse dado nos seus planejamentos de marketing?
O primeiro dado a ser levado em consideração é que já foi sugerida uma segmentação tanto de sexto quanto de faixa etária, apontando que mulheres e idosos são mais focados em prevenção, enquanto homens e pessoas mais jovens são mais do tipo focados em promoção.
A partir disso, direcione seu planejamento de acordo com cada um desses grupos. Analise o tipo de cliente que a sua marca atinge – ou quer atingir – e foque em uma campanha mais promocional ou preventiva.

Quando se trata da motivação básica de compra, o consumidor pode ser impulsionado por dois fatores: a busca pelo prazer ou a prevenção da dor.

É o que aponta um estudo realizado por pesquisadores das Universidades de Boston, nos EUA, e de Ontário Ocidental, no Canadá.

Foram apresentadas duas tarefas aos consumidores: experimentar um café e comprar uma câmera digital. Um dos produtos era de qualidade e o outro não, o que permitiu identificar dois tipos de consumidores que respondem de forma diferente a experiências positivas e negativas relacionadas ao consumo.

dfdsfs

Enquanto os consumidores focados em promoção buscam o prazer, aqueles que são focados em prevenção querem evitar a dor.

O grupo da promoção espera sempre uma boa experiência com a aquisição de um produto ou serviço. O curioso é que, esperando uma experiência positiva, o prazer que é obtido com esta experiência positiva é maior. Mas se esse consumidor tem uma experiência ruim, a frustração e sofrimento são maiores.

91365701

Já o outro tipo do consumidor, o focado em prevenção, é aquele que sofre menos quando coisas ruins acontecem. O problema é que ele também não aproveita bem as experiências positivas, não tem tanto prazer, porque não espera muito das coisas. As reações controladas deste grupo fazem com que eles sintam menos alegria com boas experiências, um fenômeno que os pesquisadores chamaram de viés conservador.

Como as empresas podem usar esse dado nos seus planejamentos de marketing?

O primeiro aspecto a ser levado em consideração é que já foi sugerida uma segmentação tanto de sexo quanto de faixa etária, apontando que mulheres e idosos são mais focados em prevenção, enquanto homens e pessoas mais jovens são mais do tipo focados em promoção.

A partir disso, direcione seu planejamento de acordo com cada um desses grupos. Analise o tipo de cliente que a sua marca atinge – ou quer atingir – e foque em uma campanha mais promocional ou preventiva.

Posts relacionados:

>>> O que esperar do consumidor para o mercado em 2012

>>> Pesquisa de comportamento aponta que 92% dos brasileiros consomem moda

>>> Pesquisa aponta que empresários temem ficar de fora do compasso no mercado sem aderir às novas tecnologias

Imóveis no exterior: os destinos preferidos dos brasileiros

Os destinos dos brasileiros que buscam imóveis no exterior
São Paulo – As famílias mais abastadas que procuram imóveis no exterior já não se limitam mais ao estado americano da Flórida, nem mesmo aos Estados Unidos. Outras cidades americanas, cidades caribenhas e vizinhas sul-americanas também entram no radar de quem busca uma segunda residência no exterior.
Segundo dados da Century 21, a maior franquia imobiliária do mundo, depois de Miami e Orlando, as localidades estrangeiras que mais vêm sendo buscadas pelo público brasileiro são Punta del Este, no Uruguai, Nova York, além das ilhas de Aruba e Saint Barths. A maioria busca uma segunda residência para veraneio ou para fazer negócios, ou mesmo aluguel para temporada.
Punta del Este, Uruguai
De acordo com a Century 21, a procura de brasileiros por imóveis em Punta del Este cresceu 55% entre 2010 e 2011. A operação uruguaia da companhia começou em março deste ano. “O Uruguai tem benefícios tributários, além de fazer parte do Mercosul. É possível, por exemplo, fazer a transferência do capital a custos muito baixos”, explica Ernani Assis, CEO da Century 21 no Brasil e no Uruguai.
Outros fatores de forte atração de brasileiros são a proximidade com o Brasil – existem voos diretos para Punta – e a existência de cassinos, uma vez que o jogo é legalizado no país. O metro quadrado de imóveis de alto padrão em Punta custa em média 4.000 dólares, mais ou menos o preço médio do metro quadrado na cidade do Rio de Janeiro, segundo o Índice FipeZap de março. As localidades preferidas de quem busca uma segunda residência no local são La Barra, José Ignacio, Praya Brava, Bosque e Beverly Hills.
Nova York, Estados Unidos
A cidade de Nova York teve um aumento de 21% nas buscas feitas por brasileiros de 2010 para 2011, por dois aspectos importantes: o de turismo e o de negócios, tanto para pessoas físicas, que vão passar temporadas na cidade a trabalho, quanto para empresas que buscam instalações para montar uma filial nos Estados Unidos.
“Quatro empresas já fizeram negócio conosco este ano: uma de fundos imobiliários, uma de mercado de capitais e duas de serviços”, diz Ernani Assis. O preço do metro quadrado de imóveis residenciais de alto padrão na Grande Maçã, porém, é bem salgado: 13.000 dólares.
Aruba
Aruba é uma ilha caribenha que funciona como território autônomo dentro do Reino dos Países Baixos. Houve uma alta de 15% nas buscas de brasileiros por imóveis à venda na região de 2010 para 2011. “É uma das ilhas com maior desenvolvimento econômico do Caribe, onde os brasileiros buscam um lugar mais exclusivo e confortável, porém a um preço médio razoável”, diz Ernani Assis.
Também existe voo direto para Aruba, que conta ainda com cassinos legalizados, outro fator de atração de brasileiros. O metro quadrado médio dos imóveis de alto padrão custa 3.500 dólares, pouco mais do que o metro quadrado médio na cidade de São Paulo em abril, segundo o Índice FipeZap de março.
Saint-Barths
Também localizada no Caribe, a ilha de Saint-Barths tem um perfil um pouco diferente das demais localidades citadas por Ernani Assis. Houve um aumento de 15% na procura por imóveis na região de 2010 para 2011, mas a maioria desses brasileiros buscava propriedades para alugar para as férias ou para feriados. “Saint-Barths é onde os ricos e famosos passam férias, e dispõe de uma quantidade enorme de hotéis e mansões de luxo”, explica o CEO da Century 21 no Brasil.
A ilha de colonização primordialmente francesa tem apenas 21 quilômetros quadrados, o que resulta em imóveis muito caros por um lado, e um ar de refúgio e exclusividade por outro. “Saint-Barths tem um dos Réveillons mais nobres do mundo. Na virada do ano passado, alugamos 11 mansões para brasileiros. Uma delas custou 40.000 dólares para uma semana”, conta AssisJá se .

Já se foi o tempo em que os brasileiros só tinham olhos para os imóveis da Flórida. Outras cidades americanas, caribenhas e ainda as vizinhas sul-americanas já integram as preferências de quem busca um imóvel no exterior.

De acordo com a Century 21, a maior franquia imobiliária do mundo, depois de Miami e Orlando os locais que mais vêm sendo buscadas pelo brasileiro são Punta del Este, no Uruguai, Nova York e as ilhas de Aruba e Saint Barths.

Os motivos para a busca no exterior? Veraneio, negócios  e ainda aluguel para temporada.

Confira abaixo os atrativos de cada cidade apurados pela revista Exame.

Punta del Este, Uruguai

A procura de brasileiros por imóveis em Punta del Este cresceu 55% entre 2010 e 2011. “O país tem benefícios tributários, além de fazer parte do Mercosul, e a transferência do capital pode ser realizada a custos muito baixos”, explica Ernani Assis, CEO da Century 21 no Brasil e no Uruguai.

punta1

Outros fatores de forte atração de brasileiros são a proximidade com o Brasil – existem voos diretos para Punta – e a existência de cassinos, uma vez que o jogo é legalizado no país.

O metro quadrado de imóveis de alto padrão em Punta custa em média quatro mil dólares, mais ou menos o preço médio do metro quadrado na cidade do Rio de Janeiro, segundo o Índice FipeZap de março.

As localidades preferidas são La Barra, José Ignacio, Praya Brava, Bosque e Beverly Hills.

Nova York, Estados Unidos

A cidade de Nova York teve um aumento de 21% nas buscas feitas por brasileiros de 2010 para 2011, por dois aspectos importantes: o de turismo e o de negócios, tanto para pessoas físicas, que vão passar temporadas na cidade a trabalho, quanto para empresas que buscam instalações para montar uma filial nos Estados Unidos.

nova york

O preço do metro quadrado de imóveis residenciais de alto padrão na cidade é bem salgado: 13 mil dólares.

Aruba

A ilha caribenha funciona como território autônomo dentro do Reino dos Países Baixos. Houve uma alta de 15% nas buscas de brasileiros por imóveis à venda na região de 2010 para 2011.

Também existe voo direto para Aruba, que conta ainda com cassinos legalizados, outro fator de atração de brasileiros.

Aruba3

O metro quadrado médio dos imóveis de alto padrão custa 3,5 mil dólares, pouco mais do que o metro quadrado médio na cidade de São Paulo em abril, segundo o Índice FipeZap de março.

Saint-Barths

Também localizada no Caribe, a ilha tem um perfil um pouco diferente. Houve um aumento de 15% na procura por imóveis na região de 2010 para 2011, mas a maioria desses brasileiros buscava propriedades para alugar para as férias ou para feriados.

“Saint-Barths é onde os ricos e famosos passam férias, e dispõe de uma quantidade enorme de hotéis e mansões de luxo”, explica o CEO da Century 21 no Brasil.

A ilha de colonização primordialmente francesa tem apenas 21 quilômetros quadrados, o que resulta em imóveis muito caros por um lado, e um ar de refúgio e exclusividade por outro.

st-barth4

“Saint-Barths tem um dos Réveillons mais nobres do mundo. Na virada do ano passado, alugamos 11 mansões para brasileiros. Uma delas custou 40 mil dólares para uma semana”, conta Assis.

Posts relacionados:

>>> Os bairros mais caros do Brasil

>>> Bairro planejado de Chapecó conta com trabalho da 2Day

>>> Mercado imobiliário tem novas expectativas com classe média

Marketing no mercado de luxo: três tendências para 2012

Os bens de luxo são produtos e serviços com comportamentos muito particulares no mercado, e sua administração mercadológica frequentemente contradiz as regras do marketing de consumo de massa. É preciso adaptar e muitas vezes reinventar conceitos para prosperar nesse segmento.

Por isso destacamos abaixo três tendências para auxiliar as empresas do setor em seu planejamento de marketing para o mercado de luxo. As dicas são de Karen Weiner Escalera, membro do conselho consultivo do Luxury Marketing Council da Flórida, Estados Unidos.

Diversão para fidelizar
Cada vez mais as companhias terão de atrair e divertir para fidelizar. Um exemplo é a ação da marca de sapatos Jimmy Choo, que criou uma gincana em Londres para apresentar sua primeira coleção de tênis.

Durante a ação “Catch a Choo”, os seguidores da marca nas mídias sociais viam que um par de tênis tinha feito check-in em algum lugar da cidade e o primeiro a chegar no local recebia o produto.

2day2

Operadores de turismo, hotéis e empresas aéreas também seguem a tendência, oferecendo viagens misteriosas de fim de semana para clientes fiéis e fãs, por meio de concursos, leilões ou descontos para destinos desconhecidos, com itinerários-surpresa.

Mudanças na linguagem
Nos últimos anos, os jargões têm sido palavras como “autêntico”, “artesanal”, “vintage” e “único”. Provavelmente, em 2012 continuará assim, mas as empresas devem ficar atentas.

Na medida em que palavras da moda forem adotadas pelo mercado do consumo em massa, será necessário criar um novo vocabulário do Luxo, mais carismático e preciso, com termos como “precioso”, “raro” e “sagrado”.

Diferenciação pelo estilo
As marcas precisam melhorar o que oferecem e proporcionar vivências diferentes aos consumidores. Foi o que fez a britânica Alfred Dunhill, ao recriar uma loja com artefatos e peças de suas primeiras coleções.

2day

O complexo de três andares mergulha os visitantes em uma experiência completa de compras, jantar e beleza, com um bar e café, uma sala de cinema, alfaiataria, área de produtos em couro, SPA, barbearia e um clube de cavalheiros, à moda antiga.

Outro exemplo são os hotéis que atendem os que amam os “micro nichos”, como o The Food Hotel, em Neuwied, na Alemanha. O empreendimento temático tem decoração de supermercado, com bancos feitos de caixas de cerveja, almofadas que parecem biscoitos e cadeiras que lembram carrinhos de compras.

food-hotel2

Por meio de uma parceria com 36 das maiores marcas de alimentos domésticos da Alemanha, foram projetadas suítes que permitem aos hóspedes escolherem quais lanches, bebidas e ações de Marketing gostariam de receber e testemunhar ali.

Há ainda o Divorce Hotel, na Holanda, para casais que desejam se separar. O local conta com quartos de solteiro, mediadores, tabeliães e psicólogos, além de outros especialistas para ajudarem os clientes durante o processo de divórcio.

Posts relacionados:

>>> Mercado de luxo: Brasil tem um dos cenários mais promissores

>>> Conheça as marcas bancárias mais valiosas do mundo

>>> O que esperar do consumidor para o mercado em 2012